Pular para o conteúdo principal
smartsaúde: tecnologia e saúde na palma da mão (e no pulso)

smartsaúde: tecnologia e saúde na palma da mão (e no pulso)

apps para verificar pressão, meditar, contar passos, monitorar níveis de ruído do ambiente e até realizar eletrocardiogramas: tecnologia e saúde andam cada vez mais juntas nos dispositivos smart – phone e watch.

as formas de monitorar a saúde estão mudando, e as pessoas estão assumindo um papel mais central nesse controle. o smartphone já faz parte da rotina de milhões de pessoas no planeta, e o investimento em apps relacionados à saúde ganhou ainda mais força durante a pandemia de COVID-19.

 

porque usar apps para monitorar sinais vitais?

porque é prático, você pode acessar os dados a qualquer momento, interpretar relatórios e criar rotinas mais saudáveis.

smartsaúde: tecnologia e saúde na palma da mão (e no pulso)

quem usa iOS tem um app nativo, o Saúde, que reúne o monitoramento do seu sono, ciclo menstrual e quantidade de passos dados durante o dia. se você usa um smartwatch, é possível integrar dados, adicionando batimentos cardíacos e níveis de oxigênio no sangue.
a quantidade dos passos também se torna mais precisa. 

o app Saúde também tem um campo chamado ficha médica, onde consta seu grupo sanguíneo, seu contato de emergência, problemas de saúde, alergias e mais alguns dados.
é possível ativar o acesso a essa ficha, mesmo com o iPhone bloqueado, o que é útil em casos de emergência.

a partir desses dados é possível ter uma visão geral dos seus hábitos, e como eles impactam a sua rotina. por exemplo, você pode encontrar relação entre dias que teve insônia e dias em que você não se exercitou, ou se a sua necessidade de sono é de 8 ou 10 horas (ou outra quantidade).

os smartwatches possibilitam verificação da pressão e dos níveis de oxigênio no sangue – o que pode ser uma ferramenta ainda mais útil durante a pandemia de COVID-19.

se você tem outros aplicativos relacionados à saúde, é possível integrar a maioria deles com o app Saúde, e ter todos os dados no mesmo lugar.

para os aparelhos da Samsung, a marca tem o app Samsung Health, que conta com várias funcionalidades idênticas as que já citamos, além de conter a aba exercícios em casa, com tutoriais de exercícios ensinados por profissionais.

 

smartwatch: tecnologia e saúde na sua rotina diária

além de mostrar a hora, os relógios inteligentes também possuem outras funções.
existem aplicativos que monitoram ruídos do ambiente, e avisam se o nível considerado saudável for ultrapassado; outros capazes de executar eletrocardiogramas; medir batimentos cardíacos, nível de oxigênio no sangue e contar número de passos.

smartsaúde: tecnologia e saúde na palma da mão (e no pulso)

para quem se exercita, o benefício é acessar o relatório de calorias gastas, tempo de exercício, distância percorrida e detalhes específicos de acordo com o tipo de exercício. 

além disso, smartwatches também podem ser usados para fazer pagamentos por aproximação (RFID ou NFC), diminuindo a necessidade de tocar nas máquinas de pagamento.
 
em 2020, a ANVISA aprovou os aplicativos para ecocardiograma (ECG) realizados através dos modelos de smartwatch da Apple e da Samsung, que detectam a fibrilação atrial, ritmo cardíaco irregular que nem sempre é identificado pelo paciente e que pode ser um indicativo de AVC.

o investimento na área da smartsaúde uniu a Apple e a Johnson & Johnson, que em 2020 anunciaram o início de um estudo de 3 anos que vai quantificar o papel dos Apple Watches na detecção precoce da fibrilação atrial.

 

investimento em tecnologia e saúde: apps e algoritmos para diagnósticos mais precisos

Austrália, Dinamarca e Estônia possuem históricos online, e cidadãos podem acessar seus históricos de saúde através de um identificador pessoal eletrônico exclusivo. vários outros países também já adotaram algum nível de digitalização dos históricos dos pacientes, mas os 3 citados são os que mais se destacaram na implementação a nível nacional, segundo informações de 2020 do The Commonwealth Fund.

smartsaúde: tecnologia e saúde na palma da mão (e no pulso)

a DeepMind, time de profissionais especializados em Inteligência Artificial associados ao Google, criou um sistema para avaliar mamografias e diagnosticar câncer de mama. em artigo publicado na revista científica Nature (uma das mais citadas do mundo). os resultados apresentados mostraram que o algoritmo se provou mais eficiente do que os médicos na detecção de câncer, diminuindo casos de falsos positivos e falsos negativos. 

outro investimento com selo Google é o Google Health Studies, app desenvolvido para facilitar que pessoas sejam voluntárias em estudos, e a primeira pesquisa disponibilizada é focada em doenças respiratórias.

o app permite que pesquisadores consigam reunir um número adequado de participantes, tornando pesquisas mais abrangentes e com amostras mais representativas da população geral.

o primeiro estudo será liberado para participação de adultos residentes nos Estados Unidos, e pretende mapear relações entre idade e atividades frequentes, como viagens, e a evolução de quadros de doenças respiratórias, como Influenza e COVID-19.

em 2021, o Google também divulgou o lançamento do Google Fit, aplicativo capaz de monitorar batimentos cardíacos e frequência respiratória através da câmera do celular. inicialmente, o aplicativo vai estar disponível no Google Pixel, e depois será ampliado para dispositivos Android.

a empresa está envolvida em diversas frentes quando se trata de tecnologia e saúde, e a tendência é que os investimentos na área incentivem até mesmo políticas de saúde dos países, como o aumento do número daqueles que possuem digitalização de históricos de saúde a nível nacional.

 

problemas posturais causados pelos smartphones: outro lado da moeda?

você sabe que ficar na mesma posição por longas horas pode causar problemas posturais e dores na coluna.

quando você está na academia executando um exercício com a postura errada, o resultado pode variar entre dores musculares, falta de resultados e lesões graves.

mesmo sabendo que a má postura pode causar danos à coluna, pessoas usam smartphones e tablets por longas horas, em posições que sobrecarregam áreas específicas do corpo.
essa tensão em áreas da coluna pode desencadear inflamações, dores crônicas e até mesmo uma lesão permanente.

em 2018, um artigo publicado na revista científica Nature avaliou um crescimento anormal de estruturas ósseas na base do crânio em jovens adultos, e reportou que a possível causa é a má postura ocasionada pelo uso por longas horas de dispositivos portáteis de tecnologia, como videogames, e os dispositivos com telas, como computadores e tablets.

é comum que ao utilizar o smartphone a pessoa mantenha o pescoço curvado, e não uma postura neutra. o crânio de um adulto pesa, em média, 6kg, e esse peso aumenta em 1kg a cada centímetro de inclinação do pescoço. é por isso que a coluna cervical fica tão sobrecarregada, suportando até 27kg por causa da má postura.

profissionais da medicina já usam o termo “text neck” (pescoço de mensagem de texto) para nomear essa má postura, que pode causar dores na coluna e ombros, e evoluir para uma hérnia de disco.

ou seja, o problema não está no uso de smartphones, tablets e computadores, mas sim no uso exagerado e na má postura. o recomendado é que você execute alongamentos ao longo do dia, e levante-se a cada 1 ou 2 horas para se espreguiçar e dar uma pequena caminhada.

uma rotina que inclua exercícios diários diminui os riscos de lesões causadas pelo uso de eletrônicos, além de trazer benefícios também para a saúde mental, já que o uso excessivo de redes sociais pode desencadear ou agravar transtornos como ansiedade e depressão.

 

qual o papel dos profissionais de saúde nas redes sociais online?

você imagina qual é a porcentagem de pacientes que buscam pelos sintomas na internet antes da consulta?

um levantamento de 2019 do Minuto Saudável descobriu que mais de 94% dos entrevistados buscava informações de saúde na internet, e o destaque ficou para as buscas sobre bulas, sintomas e tratamentos.

profissionais da saúde, incluindo farmacêuticos e farmacêuticas, e os próprios estabelecimentos onde desempenham suas funções, têm a responsabilidade de fornecer informações de qualidade para a população, em um esforço conjunto para enfraquecer ondas de notícias falsas que ameaçam a saúde da população.

 

quer saber como a gente contribui para esse enfraquecimento das notícias falsas no meio online?

em primeiro lugar, através desse conteúdo que você acabou de ler. todas as informações aqui presentes foram retiradas de fontes confiáveis e listadas aqui.

em segundo lugar, através de peças para nossos clientes da área de saúde, clique aqui para ver.

 

leia também no nosso blog #coisaetaumes:

cadastre aqui seu email

[email protected]

taumes

a comunicação da sua empresa vai contar com a nossa capacidade criativa para ir além.
além do esperado, além do comum.

  • (55) 3226.4499
  • (55) 98127.7431
  • contactaumes
  • rua dois, pqe montecarlo, 35 / 401
    bairro camobi - santa maria rs